segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

dois mil e sete/oito




Sempre passei os reveillons na casa de minha avó e meu avô, em Orizona-Go, com algumas exceções, como a vez que passamos (eu, irmã, mãe, ana maria (amiga de minha mãe), e outras amigas de minha mãe da cidade) em Salvador, sempre passávamos na casa da minha avó por ser seu aniversário. Desde o ano passado as coisas mudaram, minha avó estava no hospital, minha mãe passou o reveillon (aniversário da minha avó) com ela e eu e meus irmãos cada um em um lugar.
A pouco mais de seis meses minha avó faleceu, minha mãe até hoje chora muito, quase todos os dias. Eu ia passar o reveillon em Brasília, mas não aguentei, senti que precisava e queria estar com minha mãe, porque eu sei que vai ser difícil para ela, voltei hoje para casa, vamos passar na casa de uma amiga de minha mãe, estou um pouco preocupado com o humor que ela vai ter na hora, mas feliz de estar com ela, com minha irmã e saber que meu irmão está se divertindo com a namorada em Buenos Aires.
Não escrevo aqui um tempo, tinha me prometido escrever nesta data, na verdade ao menos deixar uma foto e felicitações a todos, de qualquer lugar que eu estivesse, já escrevi um pouco, não muito, afinal estou atrasado para ir pra casa da amiga de minha mãe, mas cumpri o que disse de não deixar passar essa data.
Para terminar, desejo a todos, desculpem-me, mas principalmente a minha família (mais ainda à minha mãe!) e amigos muita paz, porque estamos precisando muito disso, que muitos sonhos sejam realizados neste ano que está chegando, que as pessoas do mundo aprendam a dar um pouco mais de valor as outras, acabando um pouco mais com o preconceito, a violência, intolerância entre outras coisas que precisamos acabar. Desejo muita saúde a todos, muitas felicidade, sucesso, metas cumpridas, muitas felicidades, muitas felicidades mesmo e que todos nós possamos ter muitas coisas boas neste ano e passar pelas dificuldades de cabeça em pé, vencendo todas elas com bom humor, amor e respeito a nós mesmos e aos próximos. Que venha 2008 e que entremos nele, permaneçamos e acabemos com o pé direito, com nossas famílias bem e felizes!

Fiquem com Deus e um feliz 2008!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007




Dia chato hoje, ainda nem começou direito, acabei de acordar, mas já é um dia chato. Acordei com o telefonema da auto escola, dizendo ter cancelado minhas aulas essa semana, 6 aulas. Pode não parecer nada, mas seriam 6 aulas a menos para 2008, ou três dias a menos de aulas para eu poder fazer a prova e tirar a carteira, pra quem está ansioso para tirar a carteira isso é muito!

Ontem a noite fui ao cinema, assisti Mon Meilleur Ami (Meu Melhor Amigo), filme francês (como é de supor pelo título original), muito bom o filme, vale a pena assistir, achei fantástico, acho que a história dos personagens foi muito bem escrita, todas as falas já davam para entender claramente (pelo conhecimento de mundo), mas depois ainda era explicado o porque da fala para a personagem, achei muito válido e muito bem utilizado os ganchos que se faziam sobre personagem e história do filme, com a rede de personagens também, acho que não estou conseguindo chegar ao ponto que quero é que não quero contar o filme.

Enfim, vou parando por aqui, tive uma pausa para o almoço entre esses parágrafos daí perdi ainda mais o raciocínio!

;)

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

NATAL





Já tem um tempo que não escrevo nenhum texto aqui, não estou usando muito o pc, passando o tempo mais com família e isso está muito bom, é isso, e acho que isto é melhor que ficar dia todo na frente do pc, mas já estou com saudades de postar aqui, de escrever alguma coisa, então, já estou saindo, hoje comemoraremos o natal na casa do meu tio, passei mesmo pra desejar feliz natal.


(ngm lê, mas escrevo mesmo assim, até pq adoro as imagens que coloco e é um jeito de não perder nenhuma!)

domingo, 23 de dezembro de 2007

Buy





Consumo!
Lacoste!
Forum!
Natal!
Presente!
Lacoste!

sábado, 15 de dezembro de 2007

Revolução Industrial (ainda colégio!)

1ª Revolução Industrial

Pela definição conceitual, uma "revolução" se dá quando são observadas transformações radicais de âmbito econômico, social, político, artístico e científico.

Antes da Revolução Industrial a atividade produtiva era artesanal, manual (manufatura), algumas vezes em grupos, onde cada um cuidava de uma parte da produção, como uma cooperativa e muitas vezes sozinhos, uma só pessoa dominava todo o processo de criação.

Com a Revolução Industrial os trabalhadores passaram a trabalhar em fábricas, como empregados e não como autônomos, sendo assim perderam o lucro da produção, passando a ganhar salários. O trabalho realizado com a máquina ficou conhecido como maquinofatura. Na Primeira Revolução Industrial as máquinas eram a vapor e aí começou a ocorrer a divisão do trabalho, mesmo que sem pensar exatamente nisso em primeira estância.

Essa mudança na forma de produção culminou mudanças na Europa, tanto econômicas quanto sociais, com ênfase nos países que a Reforma Protestante tinha conseguido destronar a Católica como: Inglaterra, Escócia, Países Baixos e Suécia. Sendo a Grã-Bretanha, mais especificamente a Inglaterra a começar com a Revolução. Os países de influência Católica ficaram um pouco atrasados, fazendo também a Revolução num esforço de copiar os países mais desenvolvidos tecnológicamente: países protestantes.

De acordo com Karl Marx a Revolução Industrial integrou o conjunto das Revoluções Burguesas do século XVIII. Outros movimentos que também são considerados Revoluções Burguesas da época são: Revolução Francesa e Independência dos EUA. Para Marx o capitalismo é uma conseqüência da Revolução Industrial e não a causa.

As primeiras máquinas a vapor apareceram na Inglaterra no século XVIII e era usada para retirar o acumulo de água nas minas de ferro e de carvão e fabricavam tecidos. Graças a essas máquinas a produção aumentou muito e com isso os lucros dos detentores de tais também, por isso começou-se a investir na criação de indústrias.

As fábricas se espalharam rápido e na mesma velocidade a vida das pessoas, hábitos, mentalidade, conforto mudou.

Com a Revolução Industrial, o êxodo rural foi imenso, criando grandes complexos urbanos. No começo o tempo de serviço chegava a 80 horas semanais com salários medíocres e mulheres e crianças também trabalhavam, por salários ainda menores. Em 1860, com 90 anos de industrialização a carga horária de um trabalhador adulto já era de 50 horas por semana (10 horas por dia, 5 dias por semana) e os salários melhores.

Segundo estudiosos os salários cresceram de acordo com a organização dos trabalhadores e pressão aos patrões, neste pondo devo citar "Bem Vindo ao Clube", um livro de Jonathan Coe que conta a história de 4 amigos que passaram por muita coisa, inclusive é narrado de uma forma bem interessante essa questão de sindicatos que era muito forte na Inglaterra. A história já se passa em 1973, mas narra muito bem uma greve, uma revolta operária inglesa - "Trabalhadores da Inglaterra! Unam-se e despertem! Seu emprego corre perigo. Sua casa e sua subsistência estão correndo grave risco. Todo o seu estilo de vida está sendo ameaçado como nunca antes... Olhe em torno de você, para o seu local de trabalho, e vai ver que o número de pretos aumentou dez vezes. Estão lhe mandando trabalhar ao lado deles, mas, veja bem, estão MANDANDO, não PEDINDO.".

Após 1830, a Revolução se espalhou, principalmente para o noroeste europeu e leste dos Estados Unidos. Na Alemanha, a industrialização começou em 1915, mas com a unificação em 1870, liderada por Bismarck, a produção de ferro fundido começou a aumentar de forma exponencial. Na Itália, a unificação, também em 1970 impulsionou a atrasada industrialização italiana, e também só atingiu o norte da Itália.

O Brasil teve uma industrialização tardia, apenas em 1844, com a Lei Alves Branco os produtos ingleses e importados em geral pararam de ter privilégios, possibilitando a criação de indústrias. Mesmo assim os brasileiros ficaram receosos de criar indústrias pois ainda havia escravidão, sendo assim faltava mercado consumidor local e mão-de-obra e o café era, ainda, o que dava dinheiro. Porem houve um brasileiro que arriscou, Barão de Mauá.

Barão de Mauá começou com uma pequena fábrica de navios em Niterói(RJ), em um ano já possuía a maior indústria do país: emprega mais de mil operários e produz navios, caldeiras para máquinas a vapor, engenhos de açúcar, guindastes, prensas, armas e tubos para encanamentos de água. Em 1852 implanta a primeira ferrovia brasileira, entre Petrópolis e Rio de Janeiro, e uma companhia de gás para a iluminação pública do Rio de Janeiro, em 1854. Dois anos depois inaugura o trecho inicial da União e Indústria, primeira rodovia pavimentada do país, entre Petrópolis e Juiz de Fora. Em sociedade com capitalistas ingleses e cafeicultores paulistas, participa da construção da Recife and São Francisco Railway Company; da ferrovia dom Pedro II (atual Central do Brasil) e da São Paulo Railway (hoje Santos-Jundiaí). Inicia a construção do canal do mangue no Rio de Janeiro e é responsável pela instalação dos primeiros cabos telegráficos submarinos, ligando o Brasil à Europa. No final da década de 1850, o visconde funda o Banco Mauá, MacGregor & Cia., com filiais em várias capitais brasileiras e em Londres, Nova York, Buenos Aires e Montevidéu. Liberal, abolicionista e contrário à Guerra do Paraguai, torna-se persona non grata no Império. Suas fábricas passam a ser alvo de sabotagens criminosas e seus negócios são abalados pela legislação que sobretaxava as importações. Em 1875 o Banco Mauá vai à falência. O visconde vende a maioria de suas empresas (60 milhões de dólares) a capitalistas estrangeiros.







2ª Revolução Industrial


Inicia-se no final do século XX, mais especificamente por volta de 1870, com a industrialização da França, Alemanha, Itália, Bélgica, Holanda, Estados Unidos e Japão. Agora, o combustível foi o petróleo, houve o surgimento da eletricidade, produtos químicos, como plástico, são descobertos, o ferro é substituindo pelo aço, assim surge novas máquinas e ferramentas.

Em 1909, Henry Ford cria a linha de montagem e produção em série, com base no taylorismo (a administração tinha que ser tratada como ciência, desta forma ele buscava ter um maior rendimento do serviço do operariado da época,o qual era desqualificado e tratado com desleixo pelas empresas).

No atual contexto, qualquer oscilação de demanda ou fluxo de matéria prima, que antes poderiam ser enfrentadas com modificações na mão-de-obra, transformam-se em graves entraves devido à mecanização intensiva. A alternativa para uma nova dinâmica de crescimento foi a integração vertical, através de processos de fusões e incorporações, que modificam profundamente a estrutura empresarial. Em todos os setores em que havia a possibilidade técnica de exploração de ganhos de escala, surgiram grandes empresas, verticalmente integradas em suas cadeias produtivas.

A verticalização exige uma complexa estrutura administrativa que marcará a segunda revolução industrial através da empresa de sociedade anônima, gerenciada por uma estrutura hierárquica de administradores profissionais assalariados. A estrutura administrativa passa a representar um elevado custo fixo e devido a atividades não mecanizáveis, essa estrutura se caracteriza pela baixa produtividade. Dessa forma, além de aumentar sua participação em termos de número de funcionários, a estrutura reduz os ganhos de produtividade de áreas operacionais.

A hegemonia deixou de ser inglesa e passou a ser dos EUA que, às vésperas da Primeira Guerra Mundial detém 40% do PIB (produto interno bruto) dos países desenvolvidos e ao final da Segunda Guerra Mundial já é de 50%. Essa sucesso estadounidense foi atribuido a três fatores: o primeiro foi em função de uma estrutura maior de capital aberto de suas empresas, devido a serem retardatários na primeira revolução industrial, o segundo fator foi a aceleração do processo de verticalização devido à forte preocupação americana com o livre mercado e sua oposição a cartéis (é uma forma de oligopólio em que empresas legalmente independentes, geralmente atuantes do mesmo setor, promovem acordos entre si para promover o domínio de determinada oferta de produtos e/ou serviços), o mais importante fator foi a grande adequação e aceitação da sociedade americana ao produto padronizado.

A energia elétrica foi tão importante para a segunda Revolução Industrial quanto a Máquina a Vapor para a primeira. Motores e máquinas menores permitiram uma criação de vários utilitários domésticos, sendo considerados como bem duráveis, assim como os automóveis, que vem conosco até os dias de hoje.

A teoria de Ford com seu método de produção em série, foi denominado fordismo (é um modelo de produção em massa que revolucionou a indústria automobilística na primeira metade do século XX), Ford desenvolve peças intercambiáveis de alta precisão que elimina a necessidade de ajustamento e, consequentemente do próprio mecânico ajustador. Sem a necessidade de ajuste, a montagem pode ser taylorizada, levando a que mecânicos semi-qualificados se especializassem na montagem de pequenas partes. Com a introdução de linhas de montagem, eleva-se a produtividade ao minimizar o tempo de deslocamento e redução nos estoques.






3° Revolução Industrial


Recentemente, na década de 1990, alguns autores afirmaram que estávamos vivendo uma Terceira Revolução Industrial, impulsionada, do ponto de vista tecnológico, pelo surgimento de novas Tecnologias de Informação (TIs) e pelo advento da eletrônica, em substituição à eletro-mecânica, no setor industrial. O conceito ainda é polêmico e divide a academia.

"Trata-se de um processo, é preciso tempo para avaliar se o atual momento histórico poderá ser chamado de Terceira Revolução Industrial", afirma Sérgio Queiroz, pesquisador e professor do Departamento de Política Científica e Tecnológica (DPCT), da Unicamp. Para ele não é fácil dizer se realmente estamos vivendo uma terceira Revolução Industrial, pois as TIs, em muitos setores não fizeram mudanças radicais, como no caso dos meios de transporte, que foram aprimorados, mas continuam os mesmos da segunda Revolução e também dos meios de produção, ainda baseados na automação, que deixou de ser repetitiva para ser programada pelo computador.

Além disso, diferentemente dos processos ocorridos nos séculos XVIII e XIX, atualmente não há um país protagonista. "Pode-se pensar no Japão e na China, que estão crescendo em ritmo acelerado. Mas eles não estão ditando as regras da produção atual, como aconteceu anteriormente com a Inglaterra, na primeira revolução, e com os Estados Unidos, na segunda", afirma Queiroz.

A idéia de Terceira Revolução Industrial é caracterizada por uma redução expressiva dos custos de produção e de preço dos produtos automatizados, e pela aceleração do ritmo de produção. "Dos anos 80 para cá, os computadores tiveram uma queda de preços de cerca de 20% ao ano", afirma Fernando Mattos, professor da pós-graduação em Ciência da Informação e do Centro de Economia e Administração da PUC de Campinas.

No Brasil, o total empregado no Setor de Informação ainda é baixo se comparado aos países desenvolvidos. O setor concentra cerca de 18% da mão-de-obra empregada, que se apropria de mais de 37% da massa de rendimentos.

O advento das TIs e o aumento da importância do complexo eletrônico no processo industrial causaram uma mudança nos postos de trabalho, marcada pela redução do número de trabalhadores com atividades operacionais e pelo surgimento de vagas voltadas para os profissionais responsáveis pelo gerenciamento e pela coordenação da produção.

A atual insegurança no trabalho é abordada por David Harvey, em A condição pós-moderna. Para Harvey, a força de trabalho está enfraquecida devido ao alto desemprego, à competição do mercado e à redução da força sindical, o que facilita o controle por parte dos empregadores. Assim, os trabalhos em tempo integral e com segurança (como carteira de trabalho) tendem a se reduzir, ao passo que postos de trabalho flexíveis e autônomos - que criam uma insatisfação coletiva - tendem a aumentar.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Responsabilidade (colégio)

Responsabilidade segundo o dicionário da língua portuguesa significa: "obrigação de responder pelos seus atos ou pelos de outrem.", daí entra a teoria determinista, onde afirma que todos os acontecimentos, incluindo vontades e escolhas humanas dependesse de acontecimentos anteriores, depende de situações que vivemos no passado, abrindo uma grande discussão sobre: como podemos ser responsáveis e culpados por coisas que não temos escolha, é pré estabelecido pela vida que tivemos.
Os deterministas afirmam de acordo com as leis naturais, que cada dia mais temos de concordar que funcionam exatamente assim, ação/reação, o homem desmatou durante muito tempo agora a reação natural é que a natureza acabe ou vá se modificando.
Há em contra partida os que acreditam no Livre-arbítrio, que acreditasse que os homens têm o poder de escolher suas ações.

Honestidade (colégio)

Honestidade na Religião - Honestidade é parte de dois mandamentos: Êxodo 20:15-16“Não furtarás. Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.”, ambos já deixam claro que Honestidade é um pilar importante na construção de uma vida religiosa e sendo assim para a vida da pessoa. Há muitas passagens onde é citada a honestidade, tantas que podemos perceber ser um dos mais fortes apelos que a Bíblia carrega, talvez ficando lado-a-lado com a fé que precisamos, claro, para seguirmos em frente, confiando em Deus e mais, contando com Ele nesse mundo cheio de injustiças, mentiras e falta de respeito.
Fica claro em Sua palavra que Deus prefere honestidade há oferendas, prefere o caminho da exatidão - Provérbios 21:3 “Fazer justiça e julgar com retidão é mais aceitável ao Senhor do que oferecer-lhe sacrifício.” - infelizmente hoje muitos de nós nos preocupamos mais com ter do que ser (erroniamente, afirmo) e este caminho por si só já é errado, mas pior ainda são aqueles que usam de meios ilícitos para chegarem ao tão almejado status - Provérbios 28:23 “O que repreende a um homem achará depois mais favor do que aquele que lisonjeia com a língua." 20:7 “O justo anda na sua integridade; bem-aventurados serão os seus filhos depois dele.” - no primeiro deixa claro que a verdade é mais valiosa que elogios e no segundo a graça de Deus aos filhos daqueles que seguem no caminho correto.


Honestidade na Política - Acho que este é um assunto delicado, já estamos cansados, estafados de saber o que todos falam, nos últimos tempos estão jogando na nossa cara toda essa desonestidade que ocorre, propinas desmascaradas, malas de dinheiro, armário que acerta olho de Roberto Jefferson, presidente "molusculo" que não sabe de nada de errado que acontece no país e de alguam forma o jargão diz tudo: "tudo acaba em pizza". Então para fugir deste assunto tratado assim, desse moda corriqueiro prefiro deixar essa música que para mim diz tudo da honestidade na política.


Onde Está a Honestidade?
Noel Rosa

Você tem palacete reluzente
Tem jóias e criados à vontade
Sem ter nenhuma herança ou parente
Só anda de automóvel na cidade...

E o povo já pergunta com maldade:
Onde está a honestidade?
Onde está a honestidade?

O seu dinheiro nasce de repente
E embora não se saiba se é verdade
Você acha nas ruas diariamente
Anéis, dinheiro e felicidade...
...
Vassoura dos salões da sociedade
Que varre o que encontrar em sua frente
Promove festivais de caridade
Em nome de qualquer defunto ausente...


Honestidade por Voltaire - François-Marie Arouet, nascido no ano de 1964, em Paris, mais conhecido por seu pseudônimo Voltaire, foi um poeta, ensaísta, dramaturgo, filósofo e historiador iluminista, atacou os abusos causados pelo "Antigo Regime", dizendo que antes de um monarca julgar algum servo deveria ele passar por um julgamento para só assim ser decidido sobre a "capacidade de caráter" de julgar alguém.
Ele achava que o aprendizado deveria ser baseado em ciência, razão e não dogmas (sendo "perseguido" de certa forma por algumas autoridades católicas da época e no fim de sua vida pediu perdão a Deus, que foi publicado em uma revista, Correpondance Littérairer, Philosophique et Critique, morrendo na religião católica), acreditava também num Estado ideal. Defendia a submissão ao domínio da lei, baseava-se em sua convicção de que o poder devia ser exercido de maneira racional e benéfica.
Deixou algumas máximas que deixam clara sua visão sobre Honestidade - "Ensina-se os homens a serem honestos; sem isso, poucos chegariam a sê-lo." e "Ame a verdade, Perdoe o erro." - porque ser honesto é mais que dizer a verdade, mas é também perdoar os erros, os errados e na primeira ele deixa entendido um lado mais animal do homem, onde o homem precisa ser educado para ser honesto, precisa ser ensinado, doutrinado a isto.



Honestidade por Juvenal - Juvenal (em Latim Decimus Iunius Iuvenalis), foi um poeta Romano do fim do primeiro século e começo do segundo, autor do livro As Sátiras. Um poeta que não se sabe muito da vida que teve, tendo teorias que ele pode ter sido exilado no Egito ou a Britânia (província romana, situada no sul da atual ilha da Grã-Bretanha).
Deixou máximas também interessantes sobre a honestidade - "A honestidade é elogiada por todos, mas morre de frio." e "Uma pessoa (realmente boa) é uma "ave rara" ( "avis rara em terris nigroque simillima cycno 6.165; Uma ave rara na terra e mais semelhantes a um cisne preto)" - o que deixa clara sua visão pessimista do mundo e das pessoas.




http://jesusvoltara.com.br/info/honestidade.htm
http://letras.terra.com.br/noel-rosa-musicas/397343/
http://www.fotopg.com.br/Imagens/Funny.aspx/?No_Brasil_tudo_acaba_em_pizza.+1418
http://www.ocapitalista.com/2007/07/honestidade-em-sociedade.html
http://www.ocapitalista.com/2007/03/tica-honestidade.html
http://www.sonoo.com.br/Honestidade.html
http://www.consciencia.org/
http://pt.wikipedia.org

domingo, 9 de dezembro de 2007

minha semana de filmes





Piaf - Um filme que também gostei bastante, acho que poderia escrever mais, mas desde que estava assistindo o filme só consigo pensar numa palavra pra descrever Edith Piaf: intensa!








Bubble - Já tinha lido sobre o filme a um tempo atrás, mas achei que seria mais um daqueles filmes que não passaria de vontade de assistir, por que quase nunca vem esses filmes para Goiânia, estava eu no shopping, vi que o filme passaria sim aqui, fiquei super empolgado e fiz um compromisso de ir, acreditem, enrolei, enrolei, fui no último dia, mas fui. E só posso dizer coisas boas do filme, muito bem feito, uma história muito bem construída, personagens fortes, que mostram a que vieram. Um filme que acho impossível não assistir querendo saber o que vai acontecer logo em seguida, e posso dizer que eu senti um misto de raiva com pena, com outras coisas difíceis de definir. Um filme que faz refletir, nos mostra uma visão diferente, muito bom!








Bee - Estava com vergonha de ir assistir ao filme, mas consegui companhia e fui, o que posso dizer, é um filme bom, engraçadinho, deu pra dar umas boas risadas, valeu a pena assistir!

sábado, 8 de dezembro de 2007

zac (the dog) nike (this tennis shoes)




A muito tempo não tirava foto nenhuma, e hoje estou aqui sozinho, minha irmã tinha falado que a câmera não estava funcionando, querendo de certa forma colocar a culpa em mim, porque levei a câmera pro Rio. Tudo bem, daí meu irmão me chamou, perguntando sobre a câmera, falei o que minha irmã disse, mas fui procurar a câmera, achei, coloquei pilha e PLIM!, estava fantástica, funcionando super bem. Avisei ao meu irmão, e daí virei pro lado, estava o zac (meu cachorro) deitado no chão, o tênis próximo, nesta posição da foto e a luz entrando pra persiana, deixando uma imagem bonita, daí lá fui eu, tirei essa foto aí...
Tá, tudo isso pra falar o que já estão vendo acima, a foto. Daí coloquei esse título, sei lá de onde surgiu, coloquei no flickr, antes daqui, e agora que coloquei aqui me lembrei, tem um desenho, não me lembro o nome, acho que é Ikki the cat, não é isso? Aquele gato gordo, que tem uma namorada, tão gorda quanto, ou estou enganado, não sei, vou procurar no google.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

xuc4






não esqueça da xuc4!

domingo, 2 de dezembro de 2007

Is Franch a country?



Acho que a geografia nos EUA é mesmo diferente!




thank´s anônimo! :p

terça-feira, 20 de novembro de 2007

meu amor, uma breve despedida


Ando escrevendo muito mal, estou sem nenhuma inspiração, tenho pensado tanto e nenhum pensamento chega a lugar nenhum, tenho vivido um eterno sonho, mas de certo modo um anti-sonho.

Minha mãe ainda ontem chegou pra mim e disse: "você parece mais feliz agora, solteiro. Quando estava namorando parecia sempre meio triste, com raiva", mal sabe ela que aquele na verdade é meu estado de felicidade, meu estado de plenitude. Esta é só uma máscara, que para falar a verdade de tão saturada já tem começado a cair. Ela viu hoje.

Estou estressado, triste, pensativo e graças a Deus, sinto que mais corajoso que antes, até porque agora nada me prende aqui ou a lugar nenhum, agora já não tenho medo de tentar e não chegar a lugar nenhum. Não tenho medo de mudar de idéia o tempo todo, isso só afetará minha vida, posso ser pobre na Europa, fazendo minhas roupinhas por lá que ninguém vai sofrer ao meu lado por este não ser o sonho dele, isso me deixa calmo.

Um dos meus maiores medos, que ninguém jamais soube da existência é ser igual minha mãe, não na questão caráter, isso seria ótimo, mas na questão amor. Não sei porque mas sempre me achei parecido com ela nisso, hoje de certo modo vejo claramente que talvez eu seja. Por isso não aguento mais ficar aqui em Goiânia. Quero fugir, é exatamente o que quero, não tenho problema nenhum em dizer isso. Quero fugir de um amor que não deu certo e não ficar e ver e talvez sentir para sempre.

Pode ser covardia ou parecer covardia, mas vivo desde que nasci com alguém que ficou, estagnou no mesmo lugar, talvez pensando que um dia poderia ser diferente e não é o que quero para mim. Dou muito mais valor a vida com felicidade do que a dinheiro e estou confuso sobre minhas futuras decisões, acho que aqui seria mais fácil começar minha vida, fazer minhas faculdades, mas não viver.

Acredito que se amamos alguém de verdade este amor é para sempre, como disse Nelson Rodrigues "todo amor é eterno e, se acaba, não era amor.". Já que meu amor eu já não tenho, que eu tome uma atitude para não sofrer mais por ele, talvez apesar de todo amor ser eterno, pode-se achar mais de um amor na vida e não que o primeiro amor diminuirá, isso não, mas quem sabe o do momento simplesmente não consigo me fazer superar as saudades do primeiro.
Aqui acho que não consigo, mas e longe daqui, onde eu tenha de trabalhar, correr, e não procurar como aqui posso, onde o acaso também terá tempo de trabalhar e me surpreender.

Daí agora lembrei de Ana Carolina, com a música "Rua me Levar", bem no comecinho, onde diz: "Não vou viver como alguém que só espera um novo amor, a outras coisas no caminho onde eu vim", lembrei também de outra, "2 Bicudos", diz assim: "Quando eu te vi andava tão desprevenido que nem ouvi tocar o alarme de perigo e você foi me conquistando devagar quando notei já não tinha como recuar" e é o que quero viver agora.

Aqui vivo como acho que minha mãe viveu, pensando que talvez tudo mude e seja lindo, tudo volte atrás e os meus sonhos se tornem realidade, mas já não tenho forças e motivos para brigar por uma coisa que por mais de uma vez eu já perdi. Então deixo aqui meu eterno amor e minha despedida.






Acho que talvez ninguém entenda o que quero dizer, ninguém sabe a visão que tenho da minha mãe, então foi uma sitação pouco útil, mas ninguém vem aqui, ao menos quase nunca ou nunca comentam então escrevo isso mais como terapia, desabafando e também para ler daqui a um tempo e poder me lembrar o que eu estava sentindo, o que eu estava passando.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Trabalho de colégio (DST)

Doença sexualmente transmissível (DST) é a designação pela qual é conhecida a série de patologias causadas pelo contato sexual (raras vezes de outras formas). São doenças infecciosas e podem ser provocadas por vírus, bactérias, fungos e também parasitas.

Apesar das DSTs se manifestarem na genitália externa, elas podem atingir a próstata, o útero, os testículos e outros órgãos internos. Algumas destas doenças são de fácil tratamento e causam apenas irritação no local, mas há outras mais graves que podem infertilidade, infecções neonatais, má formação do feto, entre outras coisas.

A natureza epidêmica das DSTs às tornam de difícil controle. Algumas autoridades em saúde pública o aumento de casos de tais doenças ao aumento de atividade sexual. Outra causa é também a substituição da camisinha por pílulas e diafragmas como métodos anticonceptivos.

Algumas DST são de fácil tratamento e de rápida resolução. Outras, contudo, têm tratamento mais difícil ou podem persistir ativas, apesar da sensação de melhora relatada por pacientes. O tratamento tem como principal objetivo interromper a cadeia de transmissão da enfermidade e é feito basicamente com antibióticos. Já existem tratamentos específicos para a maioria das DSTs.


Algumas doenças:


Vírus do papiloma humano (HPV):

Popularmente conhecida como Crista de Galo, tem período de latência variáveis de um indivíduo para outro. Causam lesões verrugosas, a princípio microscópicas, que vão lentamente crescendo como lesões sobrepostas umas às outras.
Uma vez diagnosticada a doença, o tratamento é quase sempre cirúrgico. No homem a doença é apenas esteticamente feia, já para a mulher o problema é maior, pois a doença é precursora do câncer de colo do útero. Portanto, tratar o homem é prevenir uma complicação séria as mulheres. Estima-se que 25 a 50% da população feminina mundial esteja infectada.



Herpes:

A Herpes é uma doença viral recorrente, geralmente benigna, causada pelos vírus Herpes simplex, que afeta principalmente a mucosa da boca e a região genital, mas pode causar graves complicações neurológicas.
Não existe até o presente momento, cura para qualquer tipo de herpes. Todo o tratamento proposto visa aumentar os períodos de latência em meses e até anos.


Uretrites: .... continuo depois





"Eu não sou eu nem sou o outro,
Sou qualquer coisa de intermédio:
Pilar da ponte de tédio
Que vai de mim para o Outro."





Mário de Sá-Carneiro (Lisboa, 19 de maio de 1890 - Paris 26 de abril de 1916)









Mais sobre:


1

2

terça-feira, 13 de novembro de 2007

O Passado


Hoje, na minha eterna falta do que fazer fui ao cinema, assisti O Passado, que filme!
É a história de Ramini e Sofia, que estão juntos desde adolescente e se separam, depois de 12 anos. Daí em diante eles seguem sua vida, para ele foi mais fácil, para ela nem tanto e é por este fato que as coisas começam a se enrolar. Pensando bem, talvez, só talvez até tenha facilitado um pouco no começo, mas assistam ao filme e me digam o que acham.
Um filme que não tem só um ótimo final, mas prende sua atenção o tempo todo, desde a primeira cena, até a última.


Leia mais: www.omelete.com.br/cine/100008688/O_Passado.aspx

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

meu futuro


Ando cheio de dúvidas, tantas, tantas. Eu sempre fui muito assim como posso dizer... indeciso, mas nunca como agora (imaginem). Dúvidas um pouco mais profundas e com um pouco mais de sentido que antes, não onde vou comer, qual roupa vou usar, pra onde sair hoje a noite, mas sim o que vou fazer da minha vida... Não é aquela coisa dramática (que normalmente acontece comigo), é sério, não é pensando em dinheiro e sim no meu futuro.
Quero sair de Goiânia, ir para São Paulo, Rio de Janeiro, mais que isso quero Paris, Barcelona, Milão, Londres, mas ainda não estou pronto pra fazer uma escolha que me abra essas possibilidades. Quero ser um estilista, dar a cara a tapa, fazer um curso na França, talvez Itália, e o problema não é o mesmo que sempre fora... não é medo. Não exatamente. Quero sair, mas sou um careta, quero fazer faculdade de direito também, daí como fazer duas coisas e ainda ter de pagar contas fora de casa? Não dá. Ainda não tomei uma decisão, penso, penso ainda mais e nada.
Daí decidi, mesmo que com todas essas dúvidas na minha cabeça, vou deixar a vida me levar, hoje estou aqui, amanhã quem sabe não estou no outro lado do mundo fazendo uma coisa que nunca esperei. Vou começar meu curso de direito, fazer um curso de corte e costura, mas tudo no próximo ano.

sábado, 3 de novembro de 2007

Elke Maravilha

Até hoje eu tinha muito preconceito com Elke Maravilha, mas hoje isso mudou, depois de assistir Zuzu Angel, que é um filme maravilhoso, a história de uma mulher que não há palavras para dizer o quão fantástica foi.
Sobre o preconceito com Elke, eu nem sabia bem quem era, só sabia de sua imagem bizarra (e infelizmente ainda dou muito valor a imagem), mas depois do filme, que Luana Piovani interpreta Elke, surgiu a curiosidade e fui procurar um pouco sobre ela.
Qual não foi minha surpresa ao descobrir que Elke fala cinco idiomas, a imagem que eu fazia já mudou aí, achava que ela era uma caricata burro, mas isso não é tudo, achei uma entrevista dela.
Ela nasceu na Rússia, veio para o Brasil quando tinha seis anos, morou em Minas Gerais, depois Bahia e desde 1969 mora no Rio de Janeiro. Aos 12 começou a trabalhar, já foi bibliotecária, professora de inglês, francês, latim e alemão, além de modelo, apresentadora de "talk show", jurada de programas de tv e atriz.
Então, é isso, descobri uma pessoa muito interessante, que talvez eu não tenha descoberto antes por preconceitos idiotas que ainda tenho, e vou deixar um link para quem quiser ler uma entrevista fantástica, onde dá pra perceber o quão inteligente e interessante é essa mulher.


http://www.opovo.com.br/opovo/paginasazuis/718233.html

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

tarot

Eu estava procurando uma imagem para colocar aqui, junto com o texto que queria escrever, sempre penso na imagem juntamente com o texto. Pensei logo no Tarot.
O primeiro site que caí foi um que você pensa em alguma coisa e sai algumas cartas representando o momento de agora, caminhos a seguir, conclusão e por último a palavra chave. Vou colocar aqui as cartas e o que cada uma representa, apenas para eu poder ler mais e mais vezes e entender um pouco mais. Fiz uma leitura rápida e parece ter bastante a ver com o que pensei e também com o que estou vivendo, uma mudança, um reencontro comigo mesmo e com minhas vontades e claro, porque não com um novo começo no amor...


O Seu Momento Atual


O Julgamento


O que diz a carta:

O Arcano 20, O JULGAMENTO, simboliza muita força e energia, assim como a precipitação de tudo o que está para acontecer. Quando você se deixa guiar, poderá na maioria da vezes sofrer consequências desastrosas. Neste momento deverá se libertar de tudo aquilo que está enterrado ou aprisionado; é chegada a hora do passo decisivo para o auto desenvolvimento, através da transmutação das preocupações, necessidades, relacionamento frustrante, bloqueio, ou timidez. O JULGAMENTO representa o renascimento do seu "Eu", você está recuperando sua consciência perdida, retomando o seu caminho.


Os Caminhos a Seguir


A Lua

O que dizem as cartas:

A LUA é um astro que muda continuamente de aspecto, sob a sua influência estão as fantasias e os sonhos. O Arcano 18 lhe conduz neste momento ao misterioso mundo da escuridão, das saudades e dos sonhos. Neste momento os seus temores, incertezas, pressentimentos sombrios demonstram seu medo de não conquistar, porém, como poderá ver a luz sem conhecer a escuridão. No sentido mais profundo ela quer dizer que deverá agir com cuidado, moderação e não tomando atitudes impulsivas ou precipitadas. Saia da escuridão, medite sobre seus atos e ilumine suas atitudes.



O Mundo

O Arcano 21, O MUNDO, é considerada a melhor carta do tarot, pois indica uma realização muito importante. Esta carta simboliza o mais alto grau de realização humana, as dúvidas, os tormentos, as angústias, os conflitos e todos os aspectos negativos da vida estão momentaneamente superados. É o fim de um ciclo que se fecha em completa plenitude e o início de um novo mais elevado. O Universo neste momento é todo seu, integração total das quatro energias: pensamento, sentimento, intuição e sensação.



A Roda da
Fortuna

A RODA DA FORTUNA não tem princípio nem fim, sua função é girar incessantemente simbolizando a eternidade, numa atividade que significa progresso e mudança. Esta carta mostra muitas situações que poderão se apresentar no momento, trazendo uma nova oportunidade para ganhar ou perder; isto significa que o problema que está vivendo ou passando esta chegando ao fim. Nada é permanente na vida, por isso ter consciência que tudo possui movimento é acreditar em mudanças. O Arcano 10 está indicando um impulso novo e contagiante, que poderá se manifestar em sua vida profissional ou sentimental.


Conclusão


A Renovação

O que dizem as cartas:

O Arcano 13 A RENOVAÇÃO simboliza toda transformação, mostra claramente que terminou um grande ciclo, e que novas situações estão se apresentando, simbolizando o renascimento do seu próprio "Eu" e até mesmo do seu próprio objetivo, esta carta não representa a morte física. Ela traz a abertura de um caminho, de uma porta, para uma mudança inesperada. Não permita que sensações ou sentimentos como; perda, fracasso, alteração, mude bruscamente a confiança em si mesmo. O fim traz necessariamente um recomeço. A transformação o fará descobrir outros talentos que muitas vezes ficam escondidos. Despedir do passado é estar se libertando para buscar um futuro.



O Diabo

As forças misteriosas do Arcano 15 O DIABO agem para destruir as ilusões e os projetos com interferências negativas , deverá ter cuidado para não cometer o erro em não perceber a sua limitação. Este Arcano reflete a negatividade que existe no Universo, o lado mais escuro da natureza humana (o inconsciente)onde estão os instintos e os desejos mais reprimidos, por isso a necessidade do seu fortalecimento espiritual para vencer as tentações e a tendência a auto destruição. Isto deve ser evitado buscando a ajuda e exercícios mentais através da oração ou aconselhamento de uma pessoa confiável.

os men

O Papa

O PAPA reafirma, neste momento ou nesta situação o poder espiritual sobrepõe ao poder material. Este Arcano retrata algo novo; ele é a personificação exterior da luta do homem em busca de uma sintonia maior com o DIVINO, ele traz todo o poder espiritual, prudência, inspiração e inteligência analítica. Deverá ter serenidade para poder compreender os acontecimentos que surgirem em sua vida de maneira inesperada, por isso, torna-se "uno" com o Criador para suportar as exigências do destino e receba a benção do Arcano 5.


Palavra-Chave

Os Enamorados


O que diz a carta:

Não tenha "dúvida", o que você deseja se realizará .




Então, foi isso o que saiu, e sim faz sentido para mim, mesmo que pra muita gente não, a questão disto para mim não é seguir ao pé da letra, não é acreditar ou desacreditar, gosto de Tarot, Astrologia e coisas do tipo para me dar o que pensar, interpretar como preciso para minha vida e assim aprender um pouco mais de mim.

O link para quem quiser é: http://www.destinos.com.br/tarot/tarot_2.asp

terça-feira, 16 de outubro de 2007

www.ota.com.br



Acabei de chegar do cartório eleitoral, e antes de sair estava vendo estas tirinhas que descobri esta madrugada com a insônia que tive.
Adorei a crítica desta, onde diz não funcionar o que ele fez no sindicato para o "reinado", ou se preferirem o mandato de Lula. Realmente, não sei se funciona ou não, nada mudou, tudo está descarado como nunca, mas continua acabando em Pizza!

www.ota.com.br



obs: para conseguir ler a tira, clique na imagem!

terça-feira, 9 de outubro de 2007

óbito


Agora só tenho vontade de escrever uma coisa, uma carta de agradecimento a Deus, agradecendo o óbito de uma pessoa... Mas essa pessoa não morreu, ainda. Então não tenho o que escrever.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Banal

Segunda saí do colégio onde estudava, hoje e amanhã estou atoa, daí depois começo a estudar, em algum colégio público. Para deixar claro, eu não estava bombando, para falar a verdade já passei em tudo, estou mudando de colégio porque decidi que ano que vem começo faculdade, uma particular, então vou poupar 3 meses de colégio.

Este mês, mais exatamente em 11 dias, completo 18 anos, ansioso para isso, ver o que acontece, poder tirar minha carteira, também vou pro Rio de Janeiro, para o Tim Festival, espero que seja bom, como será possível não ser... Bjork, Antony and the Johnsons, Cat Power. É, vai ser legal!

Talvez, só talvez eu também viage em dezembro, mas só talvez, quando tiver certeza eu posto aqui um pouco sobre esta viagem, que está me deixando super impolgado.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

amanhã

Amanhã será um dia cheio, acho que um pouco medonho também, saí do colégio onde estudei meus últimos três anos, agora vou para um colégio público, só por dois meses, mas todos os conhecidos, amigos e colegas fizeram uma cara. Para não dizer algumas que ficaram falando que vou apanhar, porque tenho olhos azuis, porque estudava no colégio particular, até porque sou bonito falaram. Isto está me matando, ansioso pra ver se vai ser péssimo assim ou se ninguém vai mexer comigo.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Redação do Colégio




O consumidor acordou e, meio tonto, calçou suas sandálias Havaianas (as legítimas, que não têm cheiro e não soltam as tiras) e foi ao banheiro. Ao abrir a torneira para molhar sua escova Johnsons & Johnson, percebeu que não havia água em casa: a Companhia de Água cortara o fornecimento por "excesso" de pagamento. O consumidor, então, pegou sua caneca Tok & Stok, colocou água da geladeira mesmo, molhou sua escova Johson & Johnson e escouvou os dentes.

Voltou ao seu quarto, vestiu-se com um shor Nike e uma camiseta da Puma e saiu correndo, desceu até a garagem do seu prédio, entrou no seu Fiat Idea e foi para a academia, chingando muito por terem cortado a água de sua apartamento. Depois de malhar por mais ou menos duas horas, foi tomar uma ducha na academia mesmo, sua mochila Doc Dog sempre ficava no carro, com roupas de trabalho da VR e seu perfume Chic (By Carolina Herrera).

Chegou ao seu escritório, totalmente decorado pela Via Condotti, ligou seu lap top Apple, trabalhou por algumas horas, foi almoçar no La Brasserie Erick Jacquin, depois voltou ao seu escritório, trabalhou por mais algumas horas, saindo de lá passou na Daslu, comprou um óculos Gucci para a namorada e um calção de banho também Gucci para ele e voltou para casa.

Estava cansado do seu dia de trabalho, para relaxar ligou sua TV LG 60PY2R Plasma 60 polegadas, ligou seu aparelho Sky, e começou a assistir à um filme, depois pediu uma pizza na Pizza Hut pelo telefone Siemens e enquanto isso foi tomar uma ducha, já estava em baixo do chuveiro, tentou ligar a água e não saiu nada. Ficou com muita raiva, gritou todos os nomes que lembrava, deixou o dinheiro na portaria do prédio e dormiu mal humorado por ter esquecido de pagar a maldita conta de água, de novo!


terça-feira, 18 de setembro de 2007

Um Lugar na Platéia


Agora estou solteiro, de novo, sem companhia pra fazer coisas que gosto muito e sem vontade pra fazer outras tantas, mas este estado de "solteirisse" me faz ir sempre ao cinema, nem me lembrava, como é bom ir ao cinema sozinho...

Estes dias fui assistir um filme, acabei ficando pra outro, vou com amigos também, enfim, estou vidrado em cinema, mesmo que nem todos os filmes sejam muito bons...

O último filme que assisti foi Um Lugar na Platéia, que é muito bom, um filme que não tem nem como confundir sobre sua nacionalidade, francês (europeu), com todos os toques, perfeição, inteligência e brilhantismo que isso significa..




*sem saco para escrever, só atualizando mesmo!!!
*quero assistir The Bubble, onde será que vou achar este filme??
*um blog que fala sobre o filme:
http://zencultural.blogspot.com/2007/08/cinema-um-lugar-na-platia.html

sábado, 1 de setembro de 2007

Marc Jacobs



Marc Jacobs nasceu em 9 de abril de 1963, em NY, e se formou em 1981 pela Escola de Arte e Estilo de NY. Jacobs conseguiu proeminência sozinho, recebendo diversos prêmios de conselho de moda no começo dos anos 90, hoje comanda a criação artística da Louis Vuitton, além da própria griffe que leva seu nome.

Ele tem alguns problemas com drogas e álcool, já foi internado em 2000, ficou bem até 2005, quando esteve na Rússia e voltou a beber. Voltou a ser internado em 2007. Preciso dizer também, ele está bem em forma para a idade que tem (tá ali em cima o ano em que ele nasceu, faz as contas), ele faz dieta, não come açucar, cafeína e faz duas horar e meia de exercícios todos os dias da semana.

Tudo isso e mais no link que está aqui em baixo.



Marc Jacobs As You've Never Seen Him Before
www.out.com/detail.asp?id=22725

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Hey Macarena



Eu adoraria ser engraçado, fazer um blog engraçado, falar coisas engraçadas, mas é difícil.
Apesar de os meus amigos, alguns deles me acharem até engraçado, apesar de chato. Minhas imitações são bem trash, são totalmente espontâneas.

A minha preferida é minha amiga Taís, ela é muito engraçada, seus movimentos como ela mesmo define "espiriquitados" são os melhores de imitar, é tão involuntário, quando vejo já fiz... Como também a dança dos rebeldes que copiei da Júlia, ela diz que um pouco mais de rebolado, afinal ela estava sentada e eu não... Enfim, até este texto falando sobre ser engraçado e comédia ficou estremamente chato.

Não tem jeito, tenho 17 anos, com corpo de 40 e alma de 93, mas me divirto!
Um dia eu serei engraçado, muito engraçado, vocês vão ver!

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Romeu sem Julieta?


Alguns amores acabam em grandes tragédias, outros simplesmente acabam, outros nunca acabam, quem se importa... só os amantes se importam!




"O amor conquistado é bom, mas o que vem ao nosso encontro é muito melhor."
William Shakespeare

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Like cinnamon ,so sweet



Maybe no one can understand my pain, but I really don´t care. I know why it´s hurting so much on me, I "lost" an important person in my life, I´m fighting agans myself to be stronger enough, but deep inside I hope someday everything´ll be all right.

It dosn´t means I wan´t you back, yes, offcourse I want you back now, but I´m looking for a better world to me, I want and I hope more than anything else that my mind and heart can be calm and in peace.

This last four months was strange, I made one of my biggest mistake, at moon party, it was really stupid, but in this months I grew up like 100 years. This time I know I gave to you my best part, I was understanding you, helping you, I´ve tryed hard and I´ve been a good person.

Now I´m feeling alone, like no one cares with me, and worst, without a part of my world, the best part of my world, my real love, my first love who I though would be forever, without my dream. I´m feeling unsafe, vulnerable, but I know the only thing I´m able to do is go on and find my peaceful place in this world and a new love. Until I find a new love I´ll be waiting the happy end.




*sei que meu inglês não é dos melhores, sei(acho) que devo ter cometido muitos erros neste texto, mas há alguns anos eu não escrevia em inglês. Me deu saudades, veio a inspiração e ai está!

*I know I don´t speak english very well, and maybe there are lot´s of mistakes in this words, but it was in my heart.

sábado, 18 de agosto de 2007

Fim, do primeiro capítulo!


É pra cá que eu corro mesmo, sempre no final das contas venho desabafar no blog, meio burro isso,
mas não interessa, não é por isso que estou aqui.
Então mais uma vez o namoro acabou, desta vez, pelo que falamos antes, será para sempre. Tentei me fazer de durão, passou muito bem, ontem, mas hoje, sei lá, tenho saudades, e ainda existe esta maldita internet, msn, orkut, comunicação, um saco tudo isso.
Desta vez era diferente, parecia que ia dar certo, eu dei o melhor de mim, compreensão, idéias, companheirismo, tudo, mas parece que o amor já tinha acabado. Não sei bem o que estou dizendo, não sei bem o que fazer, estou doente, não posso nem fazer alguma coisa estúpida para esquecer.

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Redação de colégio


Faz um tempo, cheguei em São Paulo, peguei um táxi para o hotel, estava com um amigo, e temos mania de conversar em inglês, sobre algumas coisas bizarras para não entenderem o que falamos, então, o motorista era meio tagarela, contou uma coisa que não me esqueço mais: "ontem um cara estava passando por aqui, daí escutou um barulho estranho, e logo que ele parou seu carro, caiu um helicóptero bem em frente, bem em frente mesmo". Seguramos o riso, mas não os comentários, que foram feito no nosso inglês (não muito bom, acho), coisas do tipo: "este cara é louco, olha a história, impossivel (risos)".

Achamos bem engraçada a história, achamos totalmente louca, impossivel de acontecer, nem demos ouvido, passou. Alguns meses depois desta história "absurda", cai um avião da Tam, foi no dia 16 de julho deste ano, o vôo 3054, acho que todos ainda se lembram, daí fiquei pensando: "este caos aério está mesmo um inferno, uma loucura, tudo pode acontecer mesmo", daí lembrei da história do táxista, e voltei a pensar no assunto: "será que o helicóptero caiu mesmo na frente do carro, é póssivel, este avião deste tamanho arrancou o "teto" de um carro, não seria mais difícil que isso".

Então, esta crise aérea está mesmo uma loucura, já tem um tempo, agora, com a popularização do avião, e com a falta de estrutura que o Brasil tem, o que mais podia acontecer? Todos jogam a culpa para o próximo, e ninguém jamais é de fato culpado por nada, a culpa são de todos, e afinal, porque em vez de passarem esse ovo, o governo, os orgãos de aviação do país não entram em um acordo e arrumar logo esta bagunça, não gastaram muito mais que gastam com as indenizações milhonárias aos famíliares dos vôos, que também ficariam gratos se essa bagunça acabassem, pois devem preferir famíliares vivos, que um tanto de dinheiro e uma saudade imensa.

Neste país tudo sempre foi às avessas, devemos fazer algo, brecar esta falta de respeito dos governantes para com seu povo, este roubo, para que possamos viver com mais justiça, e mais segurança.





ps.: sei que não ficou bom o texto, estou doente, e com sono, obrigado.

sexta-feira, 13 de julho de 2007

POP! Goes my heart.





Nossa, ontem cheguei em casa, já era tarde, me deu uma vontade imensa de escrever, tudo veio na minha cabeça, mas meu computados está no meu quarto, meu irmão está em casa, eu pensei... "vai fazer barulho, ele vai acordar e me encher", não escrevi nada, deixei para escrever tudo hoje, e simplesmente hoje não tenho nada na cabeça, nada de mais pelo menos.

Ontem foi um dia legal, diferente, mas muito legal. Estou de férias, mas acordei às 6, pra que???
Isto é ainda mais estranho, para ir à igreja, fui, foi bom, depois tomei café da manhã (o que para mim também é algo diferente), fui a uma loja, comprei uma coisinha que vou usar hoje (depois conto o que é, porque é surpresa), cheguei em casa e assisti "O Amor Não Tira Férias", que posso dizer que gostei, mas não tanto quanto eu esperava pelo que as pessoas diziam, sou mais o tipo "Letra e Música".

Minha tarde foi na cama, dormi muito, graças a Deus. Daí de noite fui ver mais uma coisa que faz parte da surpresa (acima mencionada), voltando pra casa para me arrumar de novo tive uma discussão com quem não queria, mas ficou tudo bem, daí depois de me arrumar de novo, fui para um bar, depois para a boate (Fiction), lá foi muito bom também, todos que estavam lá muito legais, e me divertiram.

Como sempre a noite quase acabou mal, mas graças a paciência que tivemos, ontem acabou diferente, acabou muito bem a noite, muito bem mesmo, como a muito tempo não acabava, hoje faço a surpresa que espero que de certo, e mais que isso, espero que seja legal e que a pessoa goste, e pra finalizar estou com nojo deste texto (um pouco), ficou parecendo um diário, e acho que eu queria mostrar que ontem eu fiquei muito feliz. Acho que só quem me conhece pra fazer a ligação deste texto com minha felicidade de ontem.

domingo, 8 de julho de 2007

waiting a good news



Alguns dias deveriam simplesmente ser esquecidos por algumas pessoas, hoje é um destes dias para mim, e isto é só uma prova que esta madrugada aconteceu, vou acordar e ter de resolver tudo!

sábado, 7 de julho de 2007

just laugh



Se você sorrir, o mundo sorrirá com você,
mas se você chorar, chorará sozinho.


Estou tentando me lembrar disso o dia todo, para rir mais, e não mais chorar sozinho, mas descobri uma coisa... como isso é difícil, sorrir para todos, o tempo todo, ser legal, não brigar o tempo todo, como tudo isso é difícil.
Maldito ser humano que sou, me habituo, a coisas boas, mas também ruins... e como é difícil combater hábitos. Estou me vigiando o tempo todo, e ainda assim não parece ser suficiente.
Se eu pudesse eu seria herói, cachorro de madame, um vírus, alguma coisa mais fácil que um simples humano... esse bicho que é julgado e julga a si mesmo o tempo todo... ai ai, seu eu pudesse eu seria tanta coisa...


obs1.: tenho de reaprender a sorrir.
obs2.: já sei pq crianças tem medo de palhaço, procurem no google "palhaços", vai ter mais "palhaços" de careta e maus que o bom e velho palhaço.

domingo, 1 de julho de 2007

E no meu âmago


Me sinto meio morto, imponente, vejo a pessoa que mais fiz por ela, simplesmente me ignorar, me enrolar, e não posso falar nada. Ela me trata mal, e eu ainda fico calado, sem saber o que fazer, ainda querendo que de certo. Escutei dela que perdi o respeito por ela, mas há muito tempo ela não fala nada de bom, apenas quer falar que estou errado, que estou sendo menino, porque ela não olha para o umbigo antes e vê o que está fazendo?

Me sinto só, mesmo com ela, não posso falar nada, sempre tem uma patada esperando por qualquer coisa que eu disser, sempre tem alguma mentira ou desculpa esfarrapada para me dar, porra, esta pessoa diz que me conhece, mas claro que não, ela só não me dá o que eu quero. Ela não me dá apoio, não me ajuda nas minhas idéias, sempre diz que estou errado, mesmo sem escutar.

Ela foi a última pessoa que perdi a capacidade de expressar sentimentos, não consigo mais dizer que amo, não consigo mais derramar uma lágrima por ela, mas sei que não tenho vontade de abraçar mais ninguém, nunca vai ser igual aqueles abraços, de muito tempo atrás, que a muito está só na lembrança, mas existiram. Não tenho vontade de beijar mais ninguém, só por vingança, para chamar a atenção, para dizer de certa forma, "eu fico com quem EU quiser, não preciso mais de você, posso ficar com alguém 1000 vezes mais bonita".

Daí depois de acabar, vou tentar conversar, vou fazer uma coisa que falei que não faria, ir atrás, sou ignorado e enrolado, sou tratado excessivamente mal, e ainda assim quero chamar a atenção, quero ouvir o "oi" no telefone, quero dar um abraço, daqueles que não solto mais, ficar ali, como se o tempo tivesse parado, chorando, xingando baixinho, rezando, ou o que quer que seja.

Mas se esta situação não mudar, bem rápido (hoje), farei o que disse, seguirei minha vida, nunca mais procurarei, por nada. Sei que sou capaz, já fiz isso uma vez, desta vez o que vai mudar é que se me procurar também, vou simplesmente fazer o mesmo que comigo, ignorar.

E choro por dentro, xingo baixinho, rezo, e no fundo ainda espero por um milagre, que seja PARA SEMPRE

domingo, 27 de maio de 2007


Quanto tempo não passo aqui... Então, estou sem tempo, na verdade, tem sobrado tempo, mas só tenho jogado um jogo idiota, que vicia.
Esta foto é a loja de Carlos Miele, se não me engano em NY, ele é brasileiro, e tem uma loja destas, isto me dá esperanças.
Só fico imaginando... será que meu futuro vai ser tão brilhante...

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Dia de hoje

Estou cansado, me sinto um caco, mas estou feliz. Me sinto vivo, é como se tudo fizesse mais sentido agora. Corri tanto, ao lado de quem quero correr para sempre, meus planos iniciais foram frustrados, os secundários também, mas desta vez eu dei a volta certa, encarei tudo numa boa, de frente. Ao menos fizemos tudo o que precisávamos ter feito, e agora, nesta noite, espero que tudo seja perfeito, não para mim, mas para você.

Sei que hoje vou aproveitar, vou gozar de uma felicidade que a muito, talvez desde sempre eu só sonhava, desta vez me senti útil, e estou indo para esta noite perfeita agora, logo o texto não vai ser acabado hoje, depois eu termino!

quinta-feira, 12 de abril de 2007


The Last Kiss ou Um beijo a mais, um dos melhores filmes que já vi, não acho que recebera críticas tãooo boas, mas é bem o meu estilo de filme.

Achei que o filme trabalha muito bem com os comportamentos das personagens, do começo ao fim, seguindo cada detalhe, sem vacilar.

Um grupo de amigos, e suas namoradas, esposas e affairs, todos com papeis muito importantes para a compreensão do filme, cada qual com seus próprios comportamentos, desejos, e modos de fuga para os problemas do dia a dia.

Adorei Rachel Bilson - a Summer do "The OC", que por coincidência acaba hoje no Brasil, com um final que já me contaram, e é lindo. Então, voltando ao assunto, ela fez seu papel muito bem, fácil como sempre e na mesma dose cativante, amável e irritante.

Zach Braff foi o protagonista, o personagem base para todo o resto. Mesmo não gostando muito dele, achei fantástico, mas para mim o melhor foi Casey Affleck, talvez nem tanto pela interpretação - que foi ÓTIMA com certeza -, mas pela posição da personagem dele, foi a história que com certeza mais me encantou e me emocionou.

Enfim acho que não falei nada sobre o filme, mas é que não quero contar nada, nadinha mesmo, espero que vejam, depois venham discutir comigo o que acharam, vou adorar comentar sobre tudo o que achei, dissertando sobre cada acontecimento do filme.

Ah, só uma coisinha, acabei de ler um comentário sobre o filme, sobre o final dele, esta é a parte que mais gostaria de comentar, disseram que o filme poderia ser melhor se tivesse dado um melhor fim aos personagens, MENTIRA, o final foi lindo, fantástico, adorei... mas na verdade não era isso que eu ia falar, era da família de Jenna (Jacinda Barrett)... Aí vai, sua mãe e seu pai são fantásticos!

sábado, 24 de março de 2007




Quem foi que nunca pensou mil vezes sobre o certo e o duvidoso, mesmo que o certo não fosse bem o que você quisesse e o duvidoso seu sonho, desde sempre. Eu pensei, continuo pensando muito.

Neste ano vou prestar o vestibular, espero passar. Fiquei com uma duvida por anos, qual curso fazer... já tinha me decidido - vou fazer direito, adoro contestar, achar brechas onde não se parece ter, adoro escrever, adoro uma rotina de trabalho, onde posso saber que horas começa e que horas acaba -, é o que eu falava, mas sempre tive vontade mesmo de mexer com fotografia, moda, coisas do tipo.

Parece que me decidi, vou fazer uma especifica de desenho, e final do ano, por mais difícil que pareça (com relação a meu futuro financeiro) eu vou prestar vestibular para moda. Vou dar duro 4 anos da minha vida dentro de uma universidade, depois continuar dando duro, procurando um emprego que pague bem, ou arrumando dinheiro de não sei onde para começar meu próprio negócio, fazer minha loja, tentar crescer...

Daí já sonho: imagina eu assinando uma coleção Louis Vouitton, Gucci, minha marca ser vendida tipo na Barneys (acho que é assim mesmo), sonho, sonho auto, mas desta vez não vou deixar estes sonhos por um tanto bom de dinheiro rápido que direito poderia me dar. Esperem e verão, porque vou seguir meu sonho, vou fazer minha faculdade, fazer roupas e dar duro para chegar onde eu quero, ou mais.

quarta-feira, 14 de março de 2007





Pensar na intervenção do homem no meio ambiente e no futuro do planeta, hoje em dia é complicado. Porque o que primeiro passa pelas cabeças é: aquecimento global e suas conseqüências, que não são nada positivas.

Já estão todos vendo no que o descuido e total descaso do homem para com o meio ambiente acarreta, como por exemplo os europeus vem sendo castigados por ondas de calor de até 40° centígrados, brasileiros com ciclones (principalmente na costa Sul e Sudeste), qual será o futuro do planeta?

Provavelmente poucos abrirão mão de todo o progresso por agora, logo, pelo que todos os estudos indicam, daqui algum tempo muitas cidades litorâneas estarão submersas - isso pelo derretimento das geleiras, assim aumentando o volume d´agua nos oceanos -, a extinção de várias espécies de animais, desequilibrando vários ecossistemas.

Quem sabe, em vez deste fim trágico, um milagre não aconteça... Não que seja melhor. Sabe, O Admirável Mundo Novo, o que na verdade já vem acontecendo, mas ainda não exatamente como Aldous Huxley propôs em seu livro. Ainda tem muito o que piorar. Talvez até aconteça tudo, essa mudança de vida por causa do aquecimento global, talvez seja a última forma desesperada de sobrevivência, mas claro, com doses regulares de felicidade química, quem é que não aguentaria? Doses químicas de felicidade, pensando bem, parece que isso já vem acontecendo!

quarta-feira, 7 de março de 2007

sou a favor

(imagem que dá dó, mas leia o texto e depois me diga...)


Será mesmo que o aborto é crime? Será que uma mulher não pode escolher ter ou não uma criança? Será que de fato está matando uma vida? Perguntas difíceis. São muitas opiniões, de acordo com o instinto de cada pessoa, da religião que cada um segue ou simplesmente pelo que
já viveu e as lições que tiraram daquilo.

Nosso país é laico, não se faz leis seguindo religiões. Não? Não deveria, logo este é um julgamento que vem da cabeça de cada um, da crença de cada um e não deveria ser levado em conta. Uma jovem de quinze anos deveria ter um filho não desejado? Com certeza a garota foi irresponsável, mas usar um filho como punição, uma vida como forma de punir uma garota é justo? Até mesmo porque no futuro o punido seria o filho, a criação que ele receberia, o amor, os cuidados. Ninguém precisa vir ao mundo como forma de punição. Se for assim, melhor que tire.

É sofrido pensar que uma vida será tirada de dentro de uma mulher, que o feto tem sensações e até sente o que está acontecendo, e até vai sentir dor, mas mais sofrido ainda é ver uma criança abandonada na rua, é saber que o filho do seu vizinho sofria abusos, e do próprio pai. Sofrido é saber que a mãe da criança espancava a criança indefesa, e que o pobre coitado cresceu ouvindo barbaridades, que não era querido, que foi um erro e só atrapalhava.

O aborto deve sim ser liberado, não tem porque termos mais abandono, revolta ou suicidas em potencial no mundo. Como seria melhor se os casais decidissem por si mesmos ter um filho e fazer o melhor que pudessem por ele, como seria melhor se todos recebessem uma boa educação, aprendessem desde cedo o que é respeito e a amar o próximo.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Tentar conquistar o mundo




Provavelmente todo jovem já ouviu ao menos uma vez na vida esta maldita frase: "quando você crescer a gente conversa" se for escrita é ainda pior... "quando você crescer agente (sic) converça (sic)", ainda assim esperam algo de nós? Por quê?


Não somos tão incapazes como pensam, nem tão desequilibrados ou rebeldes como tentam mostrar. Vivemos neste mundo louco, é normal sermos diferentes dos jovens das outras épocas.

Muitos dizem que nossa gereção de jovens não tem preocupações políticas e sociais como nas outras e menos ainda sonhos. Discordo. Somos sim imediatistas, claro, temos medo de não aproveitar nem agora nem depois. Por quê? Temos medo de não sermos bem sucedidos (o mercado de trabalho está cada dia mais difícil e nós mais gananciosos), é natural este medo e vivermos intensamente quando ainda temos "ajuda" (tudo) bancado pelos pais.


Políticamente falando somos mais conscientes do que acontece, não fariamos um movimento hippie (que por acaso foi bem mais *junkie que político), somos mais pacionais, isto é o que esperam de nós, fomos criados assim. Nos preocuparmos com nós mesmos. Somos egoístas e capitalistas. Porém quando queremos algo somos mais engajados e sabemos bem o porque e como conseguir. E nem por sermos mais egoístas significa que ficaremos parados vendo nosso mundo acabar, afinal, diferente de vocês ainda temos muito o que viver o que fazer.


Somos bem mais espertos do que conseguem perceber. O egocentrismo da meia-idade cegou vocês (e provavelmente também apagou a memória de suas juventudes). Algumas vezes preferimos ser subjetivos, tá, temos defeitos, algumas vezes a subjetividade em excesso atrapalha, mas nem sempre. Somos imediatistas, algumas vezes de forma irresponsável sabemos... mas não nos subestimem. Sabem o que faremos essa noite? "A mesma coisa que fazemos todas as noites... Tentar conquistar o mundo!"

domingo, 25 de fevereiro de 2007

Arquivo de Metal


(calmo e indiferente) Filho de Victor Giudice, minha história começo ainda em minha juventude. - (voz fica mais grossa e fala devagar) - Especificamente com meu primeiro, e único emprego. Depois de um ano, sempre chegando na hora e cumprindo com minhas obrigações fui contemplado, 15% a menos no meu salário. (feliz) Como era meu primeiro ano, sorri e saí.

Mudei-me para ainda mais longe do centro, mas continuei, pontual e responsável.Depois de dois anos, - (seco novamente) - mais uma baixa em meu salário, desta vez 17%, agora não adiantava apenas me mudar, tive de cortar gastos. Comecei a fazer uma refeição só por dia.

Mas claro, animei-me ao saber que ao menos tinha meu (triste) emprego. Ainda. Depois disso a mesmice se instaurou, uma calmaria. A empresa estava indo bem, melhor que nunca, (começa a falar rápido e a acelerar) fiquei feliz e resolvi trabalhar mais duas horas por dia. Fantástico, fui elogiado... e com o elogio recebi outro corte no salário, desta vez 19%. Mas me elogiaram, fiquei feliz.

Com este corte fui morar no subúrbio, mas o sorriso continuava em meu rosto - (sorri falsamente com os dentes) - . Os cortes continuaram, (fala mais alto) cada vez maiores, (aumenta) aos 60 anos recebia apenas 2% do que recebia no começo, e eu ainda era bem saudável, (ironia) chegaria aos 70 trabalhando. Entrei na empresa no setor administrativo, (respira) depois portaria.

E os 65 anos chegaram, fui informado: (imita voz fina desdém) "seu joão, seu salário foi eliminado, o senhor não terá mais férias e, a partir de amanhã, limpara os sanitários". (rindo) Foi demais, até mesmo pra mim. (ri muito) Disse que estava me aposentado. Todos pasmaram: "Ué logo agora que o senhor é desassalariado??".

A emoção era grande de mais, meu coração já não aguentava. (bravo e alto) Será que aqueles (leento) FILHOS DA PUTA (normal) achavam mesmo que eu gostava daquilo? Será que achavam que gostava de cortes e mais cortes? NÃO! Claro que (ênfase) NÃO. Apenas me adequava, sempre aprendi com meu pai, Victor Giudice, que, mesmo sentindo ojeriza do trabalho, tinha de me dedicar e sempre deveria me calar.

Me chamo João. Hoje sou um arquivo de metal.


*texto original de Victor Giudice (arquivo)

*este feito por mim, depois de pronto algumas modificações por meu amigo Fernando Llido.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007

Junkie



Querido diário, tenho me sentido quase um junkie,
(risos pelo exagero), mas essa vida não é pra mim,
não mesmo.
Eu não uso drogas não mesmo, é só que está tudo meio
diferente, estou até mais animado, mas sempre sei
a hora de parar..
\o

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007




Conceito precipitado do que ou de quem não conhecemos,
estereótipos criados pela cor da pela, condição econômica,
gosto sexual ou até mesmo aparência. Será que tem como
sair algo de bom ou saudável? Não. Sem chances.
Um exemplo do combate desta praga é Sebastião Salgado,
fotógrafo famoso e premiado por suas fotos, sempre com
temas sociais, grande causador do preconceito. Retrata
a miséria como poucos, uma coragem e habilidade usado
por uma boa causa. Mostra que pobres não são necessária-
mente bandidos, e muitas vezes pior do que o apresentado
a população, doenças e pior um descaso total do governo.
Um ato deste, tomado por nossos governantes e claramente
apoiado pela sociedade, que não se manifesta e provavelmente
pensa: "melhor eles que nós" não é só preconceituoso como
criminoso. Uma vergonha. É por este motivo que ainda temos
os países sub-desenvolvidos e os países de primeiro mundo.
Os poderosos podem ser podres, mas são nacionalistas e defendem
a igualdade, já nós, pobres patriotas do terceiro mundo.
Só pode ser feita uma conclusão para este tema: preconceito num
mundo globalizado é a coisa mais ignorante que pode existir.



(sei que ficou péssimo, mas é pra uma redação de colégio,
como mais deveria ficar?)

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

Curiosidades




Nem tudo que parece é!
Óbvio, banal e trivial, com certeza,
mas é preciso lembrar disso pra ser
um pouco mais feliz.

Algumas vezes sou babaca, outras
sou mais que isso, péssimo, podre,
triste de tão chato, e outras sou eu.

Não sou o que pareço, até que me ganhem,
não sou o que acham, até que eu queira,
não sou o que pensam, até que se prove o contrário.

Não tenho sentido nenhum, nem meus textos
têm, até que saibam me interpretar.
Não sou teoria, sou ação, prática...

sábado, 27 de janeiro de 2007

(quadro de uma exposição que fui em Curitiba, este é Cubano se não me engano)


Porque se eu não fosse palavras eu seria imagem,
talvez eu deveria ser imagem, eu até gosto mais,
gosto mais de imagens que de palavras,
ódio e pureza, é tão mais fácil definir isso numa imagem.

terça-feira, 23 de janeiro de 2007

Reprise



Me sinto num reprise, sabe, tudo de novo,
na verdade não tudo porque não tem como,
mas todas as aulas, mesma matéria, mesmas
piadas, mesmos professores, mesmo objetivo.
E na vida pessoal, sozinho, me apaixonando de
novo, só que desta vez, ao menos por enquanto,
por mim mesmo, depois espero me apaixonar
por alguém, ser mais leve nos planos e ser sério,
mas não com tanto exagero, posso odiar isso,
mas tenho 17 anos.
Me sinto um reprise, me sinto um ano atrasado.
Estou. Me sinto assim, sem saber o que fazer,
assim, querendo levar um pouco mais mim mesmo
e quaisquer que sejam meus planos futuros mais
a sério. Uma hora temos de perceber que não se vive
só de amor e o mais difícil, não podemos simplesmente
aprender isso e esquecermos que sem ele também
não viveremos. Consiliar, não exagerar, sempre é o
que precisamos, em todos os aspéctos, mas isso
demora a aprender, e depois de aprender, é demorado
seguir isso a risca, mais precisamente impossível.

*texto que provavelmente ficou sem nexo,
mas é isso, estou me sentindo confuso hoje.